terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Mirandela


Mirandela é uma cidade portuguesa da Região Norte, sub-região de Terras de Trás-os-Montes, situada nas margens do Rio Tua. É sede de um município com 658,96 km² de área e 23 850 habitantes (Censos 2011), subdividido em 30 freguesias. O município é limitado a norte pelo município de Vinhais, a leste por Macedo de Cavaleiros, a sul por Vila Flor e por Carrazeda de Ansiães e a oeste por Murça e Valpaços.

Caladunum era o antigo nome da atual cidade de Mirandela. O rei Dom Afonso III deu à localidade de Mirandela a carta de foral a 25 de Maio de 1250. Foi elevada a cidade a 16 de Maio de 1984. A 29 de Março de 1919, a então Vila de Mirandela foi feita Oficial da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito.

A cidade localiza-se no Vale do Rio Tua, numa zona aplanada de solos muito férteis onde se cultivam oliveiras. À sua volta, encontram-se muitos montes e, por essas razões, em Mirandela verifica-se um microclima caracterizado por Verões abafados e quentes, que lhe dão a alcunha de Terra Quente Transmontana. A cidade encontra-se a uma altitude de 210 metros a 280 metros. O solo de Mirandela é predominantemente xistoso.

A viagem foi muito rápida portanto vão aqui apenas 1 hora de imagens.















terça-feira, 15 de novembro de 2016

Arroz de Míscaros com Frango do Campo e Alho Francês



Ingredientes:
(quantidades dependem do numero de pessoas e do gosto pessoal)
- Cebola
- Alho
- Azeite
- Folha de Louro
- Míscaros
- Frango
- Alho Francês

Execução:
Coloque um pouco de azeite numa panela, pique a cebola e o alho, junte a folha de louro e coloque a refogar. Quando estiver alourado, coloque os míscaros, um pouco de água e deixe cozinhar. Coloque sal a gosto e se quiser, uma malagueta pequena. Quando os míscaros estiverem a meia cozedura, ajuste a água, coloque o frango do campo em partes pequenas e passados cinco minutos, o alho francês cortado às rodelas. Quando estiver cozinhado, ajuste a água e coloque o arroz. Deixe cozinhar e quando o arroz estiver bem cozinhado, está pronto a servir.
Bom apetite…

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Estrangeirismos à parte, boa Noite das Bruxas...

Reza a lenda que na véspera do Dia de Todos os Santos os mortos descem à terra, portanto estrangeirismos à parte, boa Noite das Bruxas...

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Museu da Eletricidade

A Central Tejo foi uma central termoelétrica que abasteceu de eletricidade toda a cidade e região de Lisboa. Está situada em Belém e o seu período de atividade produtiva está compreendido entre 1909 e 1972, se bem que a partir de 1951 tenha sido utilizada como central de reserva, produzindo apenas para completar a oferta de energia das centrais hídricas.
Em 1975 foi desclassificada, saindo do sistema produtivo. Ao longo do tempo sofreu diversas modificações e ampliações, tendo passado por contínuas fases de construção e alteração dos sistemas produtivos.

A sua abertura como Museu deu-se em 1990. Passados dez anos encerrou para nova reabilitação dos seus edifícios e equipamentos, para reabrir ao público em 2006. Hoje, pelo seu aspeto cultural e multidisciplinar, o visitante pode desfrutar de variados eventos; desde a exposição permanente do Museu, onde se mostra e explica por intermédio da maquinaria original da antiga Central Tejo o seu modo de funcionamento e o seu ambiente de trabalho (retratado neste fotodocumentário), até às exposições temporárias de grande diversidade (fotografia, escultura, pintura, ...) passando ainda por espaços didáticos e mais lúdicos versando o tema das energias, como jogos pedagógicos, ou mostras de energia solar no exterior, teatro, concertos, conferências, etc.



























Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...